Archive

Archive for março \29\UTC 2011

Ética do caráter e ética da personalidade – Qual delas vc pratica?

março 29, 2011 1 comentário


Há ética quando vc toma decisões levando em consideração apenas os seus valores?

Conforme Franklin Covey (Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes), existem dois tipos de ética: a ética da personalidade e a ética do caráter.

A ética da personalidade todo mundo tem. É quando você toma decisões em relação aos seus valores. Também nos presídios vemos essa ética. Já ouviu falar de um bandido que mata o outro por causa de um estupro? Normalmente o estuprador é morto dentro da cadeia pelos próprios presos. É uma ética, mas é o “sujo falando do mal lavado”. As vezes, o criminoso mata uma pessoa pra não ser reconhecido após o roubo. O outro matou e estuprou. Então, o que “só” matou, de acordo com seus valores, acha que o seu crime é menos grave que o do outro. Aí vai e mata o estuprador. Isso é real e ocorre nos presídios. É a ética da personalidade.

Essa é uma ética praticada todos os dias. Quantas vezes julgamos a mesma situação de maneiras diferentes, dependendo de quem a praticou? Se foi o vizinho, vemos de um jeito; se foi nosso filho, de outro; se fomos nós, de outro ainda. Fulano, ao deixar a prefeitura para assumir um cargo maior, praticou a ética da personalidade, pois havia prometido durante a eleição municipal que não deixaria a prefeitura. Aí entra o o discurso de que “estava tomando aquela atitude em benefício do país”. A ética da personalidade permite que se dê desculpas para se tomar algumas atitudes que quebram acordos. Porém, quebrar pequenos acordos é o início para que se comece a quebrar grandes. Como diz o ditado, “trair e coçar é só começar”. A ética da personalidade atua de acordo com a situação, com “cor da camisa”.

Já a ética do caráter se dá quando tomamos as nossas decisões em relação aos princípios, as verdades da vida e não em relação aos valores, que são mutáveis de acordo com o tempo ou com quem o pratica. Não matar é um princípio, então não cabe matar alguém só porque esse alguém matou o outro (tem um ditado que diz: se continuarmos com a regra do olho por olho, dente por dente, ficaremos todos cegos e banguelas). Viver a ética do caráter é cumprir o que prometeu, apesar da circunstância ou da vantagem que você iria levar se descumprisse o acordo. Viver a ética do caráter é viver a regra de ouro: faça ao outro o que o você gostaria que fosse feito a você.

A ética, batizada por Covey como “da personalidade” valoriza o status social, o “vencer na vida”, o “ficar rico” e a “do caráter” enfatiza valores mais autênticos e permanentes, tais como: integridade, humildade, fidelidade, persistência, coragem, justiça, paciência, diligência, modestia e, a regra de ouro, “não fazer aos outros o que não quiser que os outros lhe façam”. Essas duas éticas sempre se confrontaram ao longo da história. Só que, nesse século, parece ter havido uma predominância esmagadora da primeira sobre a segunda. O entrechoque dessas duas éticas pervaga toda a nossa vida familiar, profissional, política e religiosa. E, como não poderia deixar de ser, afeta também empreendimentos e organizações. No dizer de Peter Drucker, “o caráter e a integridade, por si só, nada realizam. Mas sua ausência aniquila tudo o mais”.

Fernando Guedes de Mello, no artigo Ética, Cultura e Organização diz que “a humanidade dispõe hoje de toda a tecnologia necessária para a erradicação da fome e da miséria e para a despoluição completa do planeta, num horizonte de poucos anos. Os vultuosos recursos para tal poderiam ser facilmente obtidos com a redução drástica de gastos com armamento em todo o mundo, que excedem em muitas vezes o orçamento para aquelas tarefas de salvação da humanidade. Basta vontade política para fazê-lo.” Mas para criar tais condições políticas temos de trabalhar as consciências, já que a nossa maneira de ver condiciona a nossa maneira de ser.

Fonte: expressões humanas

Categorias:ÉTICA, SOCIEDADE

Cães na Praia?

Excelente o folder de campanha de Olhar Animal. Parabéns!

Uma cadeira de balanço que dá energia para luminária

O projeto do designer americano Rochus Jacob utiliza o movimento de balanço de uma cadeira para gerar energia para uma luminária com OLED.

A Murukami, uma cadeira com luminária integrada funciona como uma luminária de leitura conforme você balança a cadeira. Assim você não gasta energia elétrica. Pois o seu movimento de balanço faz o serviço.

Outro diferencial é que quando a cadeira não está em uso, a energia fica armazena em uma pequena bateria. O projeto foi um dos vencedores da competição Green Life de design organizado pela DesignBoom.

Fonte: Ecoblogs

Categorias:Ecodesign

Hora do Planeta 2011 – Participe!!!

O mundo enfrenta desafios ambientais e a energia é um deles.

Neste sábado, das 20h30 às 21h30, a Hora do Planeta/2011 vai apagar luzes em todo o mundo. No ano passado as manifestações foram em 4,3 mil cidades de 105 países. Em 2011 a Hora do Planeta promete elevar para 130 as nações envolvidas.

“É um movimento para mostrar que queremos uma solução para o aquecimento global”, afirma Denise Hamú, secretária-geral da organização não-governamental WWF Brasil e integrante da coordenação global da campanha.

O motivo é importante. Trata-se de um exercício sobre como seria nossa vida sem tanto consumo de energia.
Por uma hora, podemos notar que estamos totalmente dependentes da eletricidade ou baterias.

Para participar, basta desligar luzes entre 20h30 e 21h30 deste sábado (26).

Pãozinho Vegano

Confesso que não costumo publicar receitas aqui. Deve ser porque não sei cozinhar. Às vezes até me aventuro a fazer um arroz (de porções/saquinho é mais fácil e prático) ou um miojo… mas isso é só quando a fome é desesperadora e a preguiça de sair à rua me obriga. Normalmente procuro algo pronto ou espero que alguém mais afeito à pratica culinária apareça e faça alguma coisa comestível…

Hoje, publico aqui a receita de um baguete. Achei muito bonito. Se alguém fizer e quiser me mandar um pedacinho ficarei muito feliz, do contrário acho que vou aguardar o alguém afeito à prática culinária chegar em casa para apresentar a foto do pão…talvez dê certo!

Baguetes (vegana)

Ingredientes

3 xícaras (400 g) de farinha trigo
1/2 colher (chá) de sal
3/4 de colher (chá) de açúcar
1/4 de colher (chá) de fermento biológico seco
1 xícara e meia de água fria
Farinha para polvilhar
5 dentes de alho
5 azeitonas inteiras
5 tomates-cereja cortados ao meio
1/4 de xícara de azeite extra-virgem
3/4 de colher (chá) de sal grosso ou flor de sal

Preparo

Em uma tigela média, misture a farinha, o sal, o açúcar e o fermento. Adicione a água e, usando uma colher de pau, misture até obter uma massa molhada, pegajosa, cerca de 30 segundos. Cubra a tigela e deixe descansar em temperatura ambiente até que a superfície esteja pontilhada com bolhas e a massa tenha dobrado de tamanho, 10 a 18 horas.

Depois do repouso da massa, prepare uma superfície com farinha de trigo. Use uma espátula para raspar a massa da tigela. Dobre a massa sobre si mesma umas três vezes, molde suavemente achatando-a. Pincele a superfície da massa com um pouco de azeite de oliva e polvilhe com 1/4 de colher (chá) de sal grosso.

Pegue uma tigela grande (o suficiente para comportar a massa quando ela dobrar de tamanho) ou se preferir, também pode usar a assadeira e untá-la com azeite. Delicadamente, coloque a massa de pão, lado da emenda para baixo na tigela. Cubra a tigela com uma toalha e espere ela dobrar de tamanho. Meia hora antes do final do segundo repouso pré-aqueça o forno em temperatura alta.

Corte a massa em quatro. Delicadamente estique cada peça uniformemente em uma longa forma de baguete, magro, aproximadamente o tamanho da assadeira. Coloque na assadeira, deixando cerca de 1 cm entre os pães. Incorpore os dentes de alho, azeitonas ou tomates-cereja nas baguetes, cerca de cinco peças por pão. Regue com azeite de oliva. Polvilhe o restante do sal.

Asse por 15 a 25 minutos ou até que a crosta fique marrom e dourada. Deixe esfriar na assadeira por cinco minutos, em seguida, utilize uma espátula para transferir a baguete para uma grelha de metal para esfriar completamente.

Nota – A baguette pode ficar um pouco empapada em apenas algumas horas por causa do sal na superfície. Se isso acontecer, reaqueça os pães em forno quente até ficar crocante.

Fonte: Cantinho Vegetariano

Categorias:Receitas, VEGetariANISMO

A cerveja e o Templo Budista

Não se assuste, não vamos denegrir a imagem dos monges budistas… Na verdade, trata-se de um sensacional trabalho de reciclagem.

Na Tailândia, monges da província de Sisaket, que fica próxima a Bangkok, construíram com as próprias mãos o templo onde vivem, utilizando apenas garrafas usadas de cerveja! A coleta do material começou há 27 anos, mas os religiosos só iniciaram a construção quando juntaram algumas centenas de garrafas, necessárias para construir a torre principal do templo.

Hoje, o Wat Pa Maha Chedi Kaew, também conhecido como “Templo de Um Milhão de Garrafas”, possui crematório, salas de oração, acomodações para os monges e até banheiros para os turistas, construídos apenas com as garrafas de vidro – e cimento, para garantir a sustentação das paredes.

Além de coletar os vasilhames, os monges também vão atrás das tampinhas das garrafas, que são utilizadas para produzir os mosaicos com imagens de Buda que decoram as paredes do templo tailandês.

Wat Pa Maha Chedi Kaew virou atração turística no país e quem vai ao lugar para conhecer a edificação tem um dever: levar algumas garrafas de cerveja vazias, para garantir a ampliação do templo.

Fonte: Planeta Sustentável

Coisas Estranhas & Fotos Surpreendentes

Alguma delas nós gostaríamos de ter…















Categorias:CURIOSIDADES