Archive

Archive for janeiro \14\UTC 2011

Relato de uma Protetora na Tragedia de Teresopolis

Um mês antes, em 10 de dezembro de 2010, já se falava em prevenção para época das chuvas. No entanto, a falta de verbas e a incredulidade quanto às proporções de um desastre não evitaram o pior. Estou postando aqui as medidas que, em dezembro, se acreditava serem suficientes e o relato da protetora Luiza, moradora de Teresópolis, em 14 de janeiro. É a narrativa terrível da tragédia vista por ela, que continua lá com seus animais tentando sobreviver. Abaixo:

“De: Luiza Pinheiro
Data: 14 de janeiro de 2011 15:56
Assunto: Teresópolis, uma atualização

A todos os amigos que se preocuparam,

Todo os cães e eu estamos bem.
Estamos sem luz, sem telefone, internet, sem água (que foi cortada pelo risco de contaminação dos corpos dentro dos rios), poupando bateria de celular.
Entre minha casa e a primeira curva havia 7 barreiras e deslizamentos, mas hoje a estrada já foi liberada para moradores e consegui fazer chegar a ração que havia faltado.
Todos os moradores do meu condomínio deixaram suas casas a pé, a água subiu a uns 2 metros para dentro do condomínio e duas casas que ficavam mais baixas, perto do rio foram varridas com perda de tudo dentro (uma está inteiramente rachada).
Eu fiquei aqui “com os ratinhos do navio”.
Minha casa não tem mais cercas pela ação da água e os cães estão presos em um local menor e não entendendo o porquê de não serem soltos.
De hoje para amanhã perto de mim as coisas devem melhorar, talvez com luz e, daí,com celular.
Vim até uma lanhouse para escrever a todos os que foram maravilhosamente incríveis procurando notícias e oferecendo ajuda.
A primeira melhor ajuda que cada um poderá dar é adotar os cães das protetoras de Teresópolis, para que possamos abrir espaço para os que teremos que resgatar. Nem todas as protetoras do estado dariam conta do sofrimento que sei que não vou conseguir descrever para vocês.
A segunda ajuda será certamente financeira, porque estes cães estão paralíticos, fraturados, sendo comidos por bicheiras dos ferimentos e começando a ser apedrejados pela população com medo de doenças ao vê-los em estado desesperador e começando a se atacar entre eles por fome.
Vagam pelas ruas em desamparo sem socorro.
Sinto tanto por estar fornecendo o número da minha conta, e nem tenho ideia do aporte financeiro que será necessário.
Tomara que eu consiga organização suficiente para prestar contas do que foi doado e gasto, mas a esta altura muitas das protetoras agirão sozinhas, muitas estão isoladas e não teremos ajuda para dar conta de cães e contas.
A cidade é o Haiti, nas regiões mais afetadas o cheiro está insuportável, os corpos chegam em caminhões baú, 60, 80 de uma vez. Ou levados pelos oradores que ainda têm carro, em pickups, caminhonetes, fuscas. Não se consegur fazer uma contagem oficial, os que foram computados são apenas os que foram reconhecidos. Pessoas passam boiando pelos rios.
Pelas ruas os corpos estão amontodos, ou sob escombros que máquina nenhuma conseguirá retirar. Começam-se a encontra pés, braços.
Os animais ficaram para trás em casas trancadas, sem comida ou água, ou no alto das ribanceiras despencadas, andando de um lado para outro em desespero, sem conseguir descer.
Os poucos moradores que deixam suas casas arrastando animais desesperados chegam no local onde são recolhidos pela Defesa Civil para dewscobrir que não poderão levar seus animais para os abrigos. São então abandonados às dezenas neste local.
Tem chovido intermitentemente, mas não forte, mas as próximas previsões são assustadoras.
Os bairros onde sobraram casas em pé serão totalmente evacuados por conta do rompimento da barragem do rio mais afetado. Mais animais estarão sem socorro de qualquer espécie.
Não tenho ideia de como será possível para cada um de nós andar pelas ruas sem poder socorrer a todos.
Ao lado de minha casa é o sítio por onde as pessoas cruzavam o rio para chegar ao outro lado do asfalto, fugindo das catástrofes.
Era como um êxodo de guerra, levas de pessoas, sempre em silêncio profundo, adultos carregando suas crianças e seus bebês, homens vergados sob o peso do que era possível carregar nas costas.
Todos de cenhos franzidos, idosos em passos arrastados, todos com estórias para contar de terrores inimagináveis.
Doem, por favor doem. Qualquer coisa, ou de tudo um pouco.
Faltam, além de todo o básico óbvio na cidade, velas, fósforos, pilhas de todos os tamanhos, lanternas, medicamentos,
A prefeitura se mobilizou e comprou todo o estoque das farmácias que, mesmo assim não dá conta, então faltam medicamentos para as equipes de resgate e para os moradores.
Já existem casos de leptospirose e de tétano, e o número vai aumentar exponencialmente nos próximos dias.
A cidade hoje está sendo saqueada, pedestres estão apanhando nas ruas.
Acho que perto de minha casa estarei em segurança.
O outro lado desta estória é o trabalho incansável e incessante das equipes de todas as procedências, trabalhando madrugadas adentro sem cessar, no breu, na chuva, no risco, nos deslizamentros. São os que liberam estradas, reolocam postes, levam e buscam moradores, doações, resgatam, tratam, socorrem.
São repórteres chorando em frente às câmeras por não suportar a visão do que é indescritível.
Vou tentando dar notícias nos próximos dias.
Minha conta vai abaixo, mesmo que eu não tenha acesso a banco atualmente.
Já ficam aqui meus agradecimentos, porque não sei se conseguirei retornar a cada um de vocês individualmente para agradecer devidamente.
Bradesco
Ag 2801
Cc 5177-2

Meu beijo a vocês, meu obrigada pelo que já fizeram, minha emoção pelo que ainda vão fazer,

Luiza”

UMA TRAGÉDIA ANUNCIADA

Matéria publicada pelo Globo em 10/dez, um mês antes:

Petrópolis, Teresópolis e Friburgo apostam na prevenção de tragédias

A imagem, um mês antes da tragédia

A chegada do período das chuvas de verão deixa os moradores da Serra em alerta. As cidades da região têm um histórico de prejuízos e tragédias provocadas por deslizamentos de terra e inundações nesta época. E, enquanto grandes obras preventivas não ficam prontas, as prefeituras apostam na participação dos moradores, que receberam, em Friburgo e Teresópolis, pluviômetros de garrafa PET para monitorarem o risco. Em Petrópolis, radiomadores vão alertar para o perigo e se comunicar para ajudar no socorro em caso de tragédias. Em Friburgo, os moradores não se esquecem das chuvas de 2007. Naquele ano, a cidade registrou 11 mortes, prejuízos de cerca de R$ 80 milhões e quase três mil desalojados e desabrigados. Em Petrópolis, a situação não é diferente. A cidade tem uma história marcada por tragédias nesse período, que resultaram em centenas de mortes. Atualmente, 490 famílias recebem o benefício do aluguel social depois de perderem suas casas em temporais.

No fim de novembro, Friburgo passou por uma provação: num domingo, caiu o equivalente a quase 15 dias de precipitação prevista para o mês. A Defesa Civil registrou 130 ocorrências, mas nenhum ferido. O coronel Roberto Robadey admite que houve falhas:

— Temos previsões a cada três horas. Na noite de sábado, a previsão era de 5mm. Mas não fomos avisados da previsão seguinte, com o alerta vindo do Rio.

Com apenas um pluviômetro digital, a cidade conta com a participação dos moradores. O Plano Verão 2010-2011, elaborado pela prefeitura, organiza funções de órgãos públicos, empresas prestadoras de serviço, associações de moradores e sociedade civil em caso de tempestades. Centenas de pluviômetros foram espalhados pela cidade. O medidor é improvisado: a tabela adesiva é colada a uma garrafa PET, que deve ser deixada ao ar livre. O morador precisa ficar atento. Caso a água da chuva chegue a 80mm em 24 horas ou 37mm em uma hora, ele deve procurar abrigo.

— A prefeitura não tem verba para realizar obras milionárias. Então, organizamos a prevenção das tragédias.

Em Petrópolis, a prefeitura aposta na criação da Rede de Operação de Emergência de Radioamadores (Roer), que reúne 40 operadores voluntários da cidade. Num caso de emergência, eles podem se comunicar de diferentes pontos.

— O maior problema que tivemos nas tragédias passadas foi a falta de comunicação, já que as redes de telefonia pararam de funcionar. Além dos voluntários, a Defesa Civil da cidade foi equipada com 160 rádios — afirma Luís Eduardo Peixoto, presidente do Comitê de Ações Emergenciais, criado há dois anos.

De acordo com ele, de lá para cá, alguns números positivos foram conseguidos:

— Coibimos 186 invasões, demolimos 160 casas em situação de risco e dragamos todos os rios.

Categorias:ANIMAIS, ATIVISMO, SOCIEDADE

Os números de 2010

Recebi a estatistica de desempenho do blog no ano de 2010. Achei bem interessante esse mecanismo de analise do wordpress…
Entao, fazendo a analise do ano, ai vai:

(obs: perdoem-me a falta de acentos do texto acima – hoje estou escrevendo de um mac e sempre me atrapalho para achar os acentos. Acabo optando por nao por nenhum…. ; D )

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Este blog é fantástico!.

Números apetitosos

Imagem de destaque

Um Boeing 747-400 transporta 416 passageiros. Este blog foi visitado cerca de 3,300 vezes em 2010. Ou seja, cerca de 8 747s cheios.

Em 2010, escreveu 256 novo artigo, aumentando o arquivo total do seu blog para 418 artigos. Fez upload de 332 imagens, ocupando um total de 17mb. Isso equivale a cerca de 6 imagens por semana.

The busiest day of the year was 19 de outubro with 95 views. The most popular post that day was 3º CONGRESSO VEGETARIANO será de 16 a 19/set em Porto Alegre.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram twitter.com, google.com.br, facebook.com, google.com e pt-br.wordpress.com

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por into the wild, hnf water, corrie white, histórias infantis sobre reciclagem e leishmaniose

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

3º CONGRESSO VEGETARIANO será de 16 a 19/set em Porto Alegre junho, 2010

2

HISTÓRIAS INFANTIS ADAPTADAS À RECICLAGEM abril, 2010

3

Mais moldes para Pets: maio, 2010
1 comentário

4

HNF WATER – Uma máquina que faz água janeiro, 2010
2 comentários

5

NOTE E ANOTE – ROUPINHA DE CACHORRO maio, 2010

Categorias:CURIOSIDADES