Início > COLUNAS > Vegetarianismo – fatos e preconceitos

Vegetarianismo – fatos e preconceitos

 

Saibam que para a alimentação de um homem onívoro, são necessários recursos que alimentariam 20 vegetarianos. Logo, se a humanidade parasse de comer animais e adotasse uma dieta vegetariana,  produziria muito mais alimento para sua sobrevivência, podendo ainda economizar água e diminuir o desmatamento.

O Vegetarianismo como solução econômica

Como chegamos a essa conclusão? Pois saibam que só no Brasil temos um quarto do território ocupado por pastagens com 200 milhões de cabeças de gado destinados ao consumo humano. As pastagens estão hoje instaladas em grandes extensões de terra que já foram mata nativa. Em tudo o mundo 25% dos grãos produzidos são destinados à alimentação do gado.  Só para termos uma idéia, se os EUA reduzisse em 10% o consumo de carne, os grãos poupados alimentariam 60 milhões de pessoas. Se falarmos na água, um bem raro e precioso, veríamos que, no Brasil, são necessários 43 mil litros para a produção de um quilo de carne e apenas 2 mil litros para um quilo de soja.

O vegetarianismo não é, então, apenas uma questão ética. O vegetarianismo está ligado à própria sobrevivência da humanidade no planeta Terra.

O Brasil tem 32 milhões de pessoas passando fome, porém produz em alimentos 1,5 quadrilhão de calorias a mais que o necessário para alimentar sua população. Essas calorias estão perdidas na má distribuição de riquezas, característica da economia brasileira. Por conta de uma cultura carnívora, onde se aprende que comer carne é o normal, e do mito que diz ser o vegetariano um ser mais “fraco” grande parte da população perde-se em uma dieta de bife, arroz, feijão e batata frita acreditando estar bem alimentado. Na verdade, essa  pessoa pode estar subnutrida. Isso, na melhor das hipóteses, já que não falamos da grande oferta dos fast foods do mundo “moderno”. Quem se alerta para o problema e procura uma vida com menos riscos alimentares, tem buscado como alternativa os produtos ditos saudáveis que vendem a cada ano 15% a mais.

O mito do vegetariano “fraquinho”

Os nutricionistas atestam que viver sem carne é perfeitamente possível e que uma dieta vegetariana pode ser tão boa ou melhor que uma dieta carnívora. Toda dieta, vegetariana ou carnívora, precisa ser equilibrada. O onívoro precisa  comer vegetais, saladas e leguminosas variadas. E a carne pode ser perfeitamente substituída por outros alimentos – o que existe é um grande preconceito a respeito do assunto, que, aliado a uma questão cultural, acaba criando a imagem do vegetariano “fraquinho”.

Como toda a dieta, também na vegetariana precisamos pensar no equilíbrio. As as vitaminas B12 e D3, por exemplo, que só são encontradas em alimentos de origem animal precisam de suplementação. A B12 existe na forma sintética, em comprimidos, e a D3 pode ser assimilada pelo organismo simplesmente tomando sol. Para os veganos e crianças em fase de crescimento, é necessário um cuidado extra com relação ao cálcio, que pode ser facilmente encontrado em suplementos.

Por isso, quando se diz que a dieta vegetariana é melhor e que os homens deveriam repensar seu modo de vida, não estamos falando de modismos…Acredite, é perfeitamente possível viver sem carne – você ganha em saúde, respeita o ecossistema e a vida dos animais. O resto é preconceito.

 

 

 

Anúncios
Categorias:COLUNAS
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: